Search
Close this search box.

Radialista Leví Araújo morre aos 68 anos

O Rio Grande do Norte perde o nome da época de ouro do rádio potiguar. O repórter esportivo Leví Araújo Barreto faleceu aos 68 anos na madrugada desta sexta-feira (5).

Conhecido por ser o maestro da Frasqueira, Leví deixou seu legado nas ondas da Rádio Cabugi, onde iniciou as reportagens de campo. Na AM 640, foram mais de 40 anos de história. Natural de Natal, Leví passou pelas ondas da Cabugi, Globo, Rural, Poti e também na Rádio Dragão do Mar de Fortaleza. “Levi, foi muito importante com seu estilo na cobertura esportiva principalmente na década de 90, quando atingiu o seu auge. Comandou na Rádio Cabugi um programa dominical que abria voz para o torcedor e tinha enorme audiência. Tinha muito carisma e versatilidade. Marcou seu nome na crônica esportiva. Grande profissional e figura humana. Cumpriu muito bem a sua missão”, afirmou Santos Neto.

O narrador Ricardo Silva, que trabalhou com Leví na Cabugi e rádio Globo, lembra “O rádio perde um grande repórter, um cara que marcou época, um cara que foi importante, um cara que mudou a maneira de se fazer rádio em Natal, na sua maneira mais entretenimento do que propriamente jornalismo esportivo, era assim que ele fazia, ele dava as notícias com muito mais alegria, ele criou um personagem que era altamente ligado, por exemplo, a equipe do ABC Futebol Clube, acho que perdemos o grande repórter, o rádio esportivo, jornalismo de uma maneira geral”, ressalta Ricardo Silva

Fernando Amaral, comentarista da Cabugi e, posteriormente, rádio Globo, relembra como Leví deixou sua marca no rádio, ao conquistar os torcedores por compartilhar a paixão pelo ABC. O amor e respeito pelo jornalismo fez com que suas reportagens fossem únicas. “Leví Araújo representou, como ninguém, o bom trabalho de repórter e a dedicação à profissão. Foi um amante apaixonado do ABC e, durante muitos anos, setorista do clube, procurou passar aos torcedores do Olho Negro todas as notícias e todas as emoções que ele podia passar durante os Jogos. Trabalhei com ele, tivemos uma ótima convivência, sempre foi muito decente, muito companheiro e vai deixar muita saudade entre todos”, relatou Amaral.

O âncora e apresentador da rádio Jovem Pan News Natal, Ricardo Santos, que trabalhou com Leví, ressalta a importância de repórter para as transmissões dos jogos e em demais programas da Cabugi. “O rádio esportivo potiguar está de luto. Se foi a alegria das transmissões. Levi foi mais que um repórter, era um animador de torcida. O tempo que trabalhei com ele na antiga 640 AM pude conhecer de perto o profissional criativo e apaixonado pelo rádio. Ele deixa um legado importante para novas gerações. Impossível esquecer também dos programas Domingo total Cabugi e Festival da Lagoa que ele fez com muito sucesso. Muitas saudades.”, descreveu o radialista.

A Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) publicou uma nota de pesar pelo falecimento de Leví Araújo. “Em sua homenagem, a FNF determinou a realização de um minuto de silêncio nos jogos deste fim de semana no Rio Grande do Norte, pelo Campeonato Brasileiro Séries C e D e Campeonato Potiguar Sub-17”, diz a nota.

NOTA DE PESAR

A Federação Norte-Rio-Grandense de Futebol lamenta profundamente o falecimento do radialista Levi Araújo, falecido nesta sexta-feira (5).

Natural de Natal, Levi foi um dos grandes nomes da crônica esportiva regional, com passagens por tradicionais emissoras do RN.

Em sua homenagem, a FNF determinou a realização de um minuto de silêncio nos jogos deste fim de semana no Rio Grande do Norte, pelo Campeonato Brasileiro Séries C e D e Campeonato Potiguar Sub-17.

A FNF lamenta a perda e envia solidariedade aos familiares e amigos de Levi Araújo.

Tribuna do Norte

Seridó Cadeiras