Search
Close this search box.

PSD tem disputa por indicação para vice de Allyson em Mossoró

A praticamente três semanas do inicio das convenções partidárias para homologação de candidatos as eleições majoritárias e proporcionais em 167 municípios do Rio Grande do Norte, o PSD em Mossoró divide-se entre dois pré-candidatos a vice-prefeito na chapa liderada pelo prefeito Allyson Bezerra (União Brasil), que buscará a reeleição em 06 de outubro.

De um lado o presidente municipal da legenda, advogado Paulo Afonso Linhares, que em 06 de junho deixou a presidência da Previ-Mossoró, para se habilitar à indicação da vice: “O prefeito não me pediu para sair e nem para ficar, saí por uma decisão política minha, a senadora Zenaide Maia (presidente estadual do partido) acatou minha posição, e sai para oferecer o meu nome a esse projeto, porque de todo modo o prefeito tem uma parceria política com a senadora e sua grande aliada em Brasília”.

Paulo Linhares diz que a indicação do companheiro de chapa do prefeito “é uma decisão” dele, mas admite que não sabia, antecipadamente, que o tesoureiro do PSD, Marcos Antonio Bezerra de Medeiros, seria exonerado, no sábado (29/06) do cargo de diretor executivo de Atenção Integrada à Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, como opção para ser companheiro de chapa de Allyson Bezerra. “Ninguém me disse nada, o prefeito não me disse nada, inclusive deixei sábado, o meu programa de rádio”, disse Linhares.

Porém, Linhares confirmou que conversou pelo menos duas vezes com o chefe do Executivo sobre a indicação de um candidato a vice pelo PSD, mas tem dito que “só resolveria isso depois do Mossoró Cidade Junina” e de um tempo descanso com a família, e em seguida “iria se dedicar às questões político-partidárias”.

Mesmo assim, Linhares não se considera surpreso com uma eventual escolha por Marcos Bezerra de Medeiros, que inclusive é parente do prefeito, para ser o eventual candidato a vice-prefeito. “Nada em política me surpreende, sou maduro nessa estrada, mas o Marcos tem todo direito de pleitear também, eu sai por decisão própria, não sei qual é a sua motivação, mas nada tenho contra ele, que é do meu partido”, reconheceu.

Segundo Linhares, o vice deve sair mesmo do PSD, que dos aliados do prefeito, além do Rede e Solidariedade, “é o partido que tem a nominata forte de vereador”, refletindo a posição do partido no Rio Grande do Norte, onde arrisca, por exemplo, eleger prefeitos de Natal, Ceará Mirim e Pau dos Ferros.

Finalmente, Linhares disse que essa questão do vice em Mossoró vai ser resolvida politicamente, mas “evidentemente que o prefeito tem muito peso nessa história, mas a política não é feita por uma só pessoa, a gente vai conversar, a gente tem que inaugurar o novo modo de fazer política, a política dos velhos caciques passou, tem que conversar, tem que sentar”.

E caso seja preterido na escolhe do vice, Paulo Linhares descarta volta à gestão municipal, irá cuidar de outros projetos de vida. “Estou com quatro livros prontos para publicar, vou fazer umas viagens”.

Tribuna do Norte

Limpa Mil