Search
Close this search box.

Programação de férias é essencial para a saúde mental; veja dicas

Para lidar com a rotina de estudos, as férias escolares são fundamentais para ter fôlego e saúde mental durante o cotidiano do aluno. No entanto, é preciso saber usar esse tempo livre com sabedoria, dosando com momentos de descanso e diversão de forma lúdica, que proporcionem também o aprendizado. Olga Mourad, orientadora educacional do ensino fundamental no Colégio Marista de Natal, defende que esse período de férias é parte essencial do desenvolvimento físico, emocional e social do estudante.

Para isso, uma série de atividades são aconselháveis, como visitas a parques e aquários da cidade, que possam permitir conhecimento na prática, ou brincadeiras que exijam um esforço cognitivo da criança. “Quando é feito o uso esse tempo livre através da ludicidade, principalmente na faixa etária de sete a oito anos, eles estão convivendo com a família, mas também estão aprendendo sobre os habitats dos animais, como no caso da ida ao aquário. Então é uma aprendizagem prazerosa”, conta Olga Mourad.

Nesse sentido, a orientadora aponta que deve ser uma prioridade fugir de grandes períodos diante das telas (celulares, televisão e outros). De acordo com uma pesquisa recente publicada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), através do Programa de Pós-graduação em Medicina Molecular da Faculdade de Medicina, o uso excessivo de telas pode ser associado a uma piora da saúde mental, independente da idade. Considerando apenas os estudos que avaliaram crianças, 72% constataram um aumento da depressão associado ao consumo intenso de telas.

Para que seja possível fugir disso, os pais precisam ter um papel ativo no dia a dia do filho. Isso pode ser um grande desafio, principalmente durante as férias do meio do ano, que costumam trazer uma colisão entre o período de trabalho dos adultos e o descanso das crianças. Olga Mourad explica que as telas não podem ser um refugiu constante. “Para muitos não é fácil, mas não é a quantidade de tempo e sim a qualidade do que irá se fazer. Escreva uma lista do que as crianças gostariam de fazer e veja essas possibilidades desde que elas sejam ricas”, aconselha a orientadora educacional.

Essa dica é vivenciada na prática por Lana Fernandes, 43, e Amiel Tiago, 40, que são pais de três meninas: Maria Nicole, 11, Maria Valentina, 7, e Maria Lara, 4. Dentro da rotina de autônomos na área de refrigeração automotiva, eles sempre buscam dedicar momentos especiais em família que favoreçam o desenvolvimento das Marias. “Procuro sempre fazer alguma coisa para não ficar só no celular em casa. Levo elas no cinema, no teatro, e nas férias sempre tiramos alguns dias para fazer uma viagem”, relata.

Criar uma programação diferente é o que faz Lana permitir que as filhas sigam se desenvolvendo de forma lúdica durante o recesso. Amiel também explica que acaba participando mais durante o fim de semana, por conta da necessidade do trabalho, mas aproveita as horas com qualidade. Como um bom pai de menina, ele precisa driblar as horas livres das filhas com muito bom humor. “Chega no final de semana, até maquiado tem que ficar. Quando elas ficam mexendo no meu cabelo e estou cansado, aí acabo cochilando mesmo”, conta aos risos.

Maria Valentina está no 2º ano do ensino fundamental e quando questionada sobre os sentimentos que vive durante esse período, ela conta que tudo pode ser resumido em alegria. Aproveitando como criança, ela adora programações em família e relata que a ida ao circo e ao cinema foram os passeios favoritos.

Já para os estudantes de ensino médio, a dinâmica das férias exige um pouco mais. Com a proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), Josenildo Dantas, psicólogo e orientador educacional do ensino médio no Colégio Marista de Natal, defende que existe a necessidade de manter pequenas horas de estudo por dia. “A gente conversa muito com os adolescentes nessa perspectiva de que é um período de descanso sim e ele é merecido e imprescindível, porém há necessidade de manter a rotina de estudos para garantir que o processo continue acontecendo, levando em consideração essa intensidade que eles vivem”, relata.

Nessa perspectiva, o profissional elaborou uma breve cartilha com sugestões de como aproveitar o tempo de férias entre diversão e a manutenção do conhecimento. Na hora do estudo a principal dica é revisar os conteúdos já estudados nas últimas aulas, focando nas matérias em que existe uma maior dificuldade, com uso de resumos, fichas de estudo, mapas mentais e questões. “Neste período, é recomendado uma média 3h30 distribuída entre as matérias, levando em consideração as mais complexas com aquelas que exigem menos do aluno”, explica Josenildo Dantas.

Já na hora de aproveitar o descanso, o orientador educacional recomenda a dedicação entre ficar com a família, visitar os amigos, assistir as séries favoritas, passear para os locais que mais gosta, regular o sono e praticar esportes. “São ações importantes para garantir sucesso em vários outros campos da vida”, afirma o orientador educacional.

Mariana Fonseca, 15, está na 1ª série do ensino médio e tem consciência da necessidade de saber dosar esses momentos durante o recesso. Nos primeiros dias livres ela viajou com a família para Pipa, no litoral do Rio Grande do Norte, e se manteve offline durante boa parte do tempo, mas agora, após voltar a Natal, Mariana promete que vai seguir uma programação de estudos. “Foi muito bom relaxar um pouco, sair dessa mentalidade de somente estudar, mas eu tenho certeza que como está tudo bem organizado, eu não vou ter problemas daqui em diante”, afirma.

A escolha pelo curso de Medicina exige que a construção do conhecimento de Mariana seja realizada em uma constante, mas isso não deve extrapolar os limites da saúde mental. A estudante conta que começou a implantar horários de começo e fim das revisões, que antes não eram praticados. “Eu já tenho um planejamento para cada dia do que eu tenho que fazer, como todas as listas que eu preciso colocar em dia e todas as aulas que preciso rever”, conta. Ela ainda afirma que já está combinando para sair nos próximos dias durante os próximos dias.

Cartilha traz dicas para as férias

“Aproveite cada momento com a família e os amigos”. Essa é a frase principal da cartilha elaborada pelo Serviço de Orientação Educacional do Colégio Marista de Natal, que compartilha diversas dicas do que fazer durante o período de recesso, entre atividades de diversão e aprendizagem, com foco em atividades manuais.

Olga Mourad fala da ludiciddade Aprendizagem prazerosa — Foto: Adriano Abreu

Se houver espaço livre, a jardinagem é uma ótima pedida. “Plantar flores, ervas ou vegetais não apenas é educativo, mas também ajuda a ensinar sobre responsabilidade e crescimento”, explica Olga Mourad. A imaginação também deve ser explorada, através de pinturas com aquarela ou tinta acrílica, receitas de culinária criativa, como cupcakes e cookies decorados, além de artesanato com materiais recicláveis.

Na hora de sair de casa, programe também lugares que proporcionem conhecimento, como o Museu Câmara Cascudo, as diversas feiras de artesanato, como o Centro de Turismo de Natal, o Forte dos Reis Magos, e o Aquário Natal. Na hora do entretenimento, escolha alternativas leves, como a Cidade da Criança e Parque das Dunas. Já para o uso das telas, a orientadora educacional também dá dicas. “A ida ao cinema é uma atividade divertida e relaxante para curtir juntos. Os filmes Divertida Mente 1 e 2 são ótimos e fazem entender como funcionam as emoções”, explica.

Tribuna do Norte

Construções Recreio