Search
Close this search box.

Pedido de impeachment de Lula com 33 assinaturas de deputados é apresentado; entenda

Um pedido de impeachment contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que conta com 33 assinaturas de deputados federais foi apresentado na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (29), conforme revelou Caio Junqueira, analista de Política da CNN.

O documento foi protocolado pela bancada do Partido Liberal, liderados por Luiz Philipe Orleans Bragança (PL-SP). Isso aconteceu no mesmo dia em que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) embarcou dos Estados Unidos de volta ao Brasil.

A ideia, segundo pontuou Caio Junqueira, é que a ação seja um “superpedido” que inclua episódios controversos do atual presidente até agora, como a declaração de que a operação policial contra um plano do PCC em que Sergio Moro (União Brasil-PR) era alvo seria “armação” do ex-juiz”.

“No contexto de reiteradas falas sobre desejo de vingança aos integrantes da Lava Jato, o presidente da República flagrantemente faltou com a verdade e produziu uma ‘fake news’ de efeitos extremamente danosos às instituições, afirmando que o atentado contra Moro e seus familiares seria uma armação do próprio Moro. Em seguida, o presidente debochou da ameaça séria à vida de famílias inocentes”, afirmam os deputados.

Entre os signatários do documento estão os deputados Nikolas Ferreira (PL-MG), Deltan Dallagnol (Podemos-PR) e Bia Kicis (PL-DF). A aprovação depende do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL).

Lula é acusado pelos parlamentares de suposto crime de responsabilidade e ingovernabilidade por incapacidade do petista de “aglutinar coesão em torno de um plano nacional no Congresso”.

A ingovernabilidade acontece quando o risco político que estaria sendo causado por um presidente traria maior instabilidade do que um pedido de impeachment.

Segundo os deputados, a ingovernabilidade se apresenta nas áreas econômica, financeira e social. Entre os exemplos, eles citam os ataques do petista contra a autonomia do Banco Central e dizem que, em menos de 100 dias de governo “há pelo menos quatro ministros acusados de cometerem improbidade e violação de regras constitucionais”.

Este é o sétimo pedido de impeachment contra Lula. A maioria foi motivada por declarações públicas do petista.

Na mesma época, em 2019, o ex-presidente Jair Bolsonaro tinha dois pedidos protocolados solicitando a sua retirada do cargo. Segundo dados da Câmara dos Deputados, os pedidos alegavam crime de responsabilidade e omissão.

Com informações do Estadão Conteúdo e CNN

Seridó Cadeiras