Search
Close this search box.

Emparn prevê volume de chuvas entre normal e acima da média para duas regiões do RN entre junho e agosto

Chuva em Natal, capital do Rio Grande do Norte — Foto: Elisa Elsie

As regiões Leste e Agreste do Rio Grande do Norte vão ter chuvas entre normal e acima da média histórica entre os meses de junho, julho e agosto deste ano.

Essa é a previsão do departamento de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), que concluiu na sexta-feira (24) um estudo sobre as condições climáticas para os próximos três meses no estado.

A região Leste é onde fica a capital Natal e outras cidades da Região Metropolitana e do litoral potiguar.

O estudo da Emparn apontou ainda que as outras duas regiões do estado – Central e Oeste – terão o início de um período de estiagem, com previsão de chuvas em em índices próximos à normalidade.

Em alguns momentos desse período, segundo a empresa, pode ocorrer pancadas de chuvas significativas.

De acordo com o serviço de meteorologia da Emparn, as águas superficiais do Oceano Atlântico, na bacia tropical, continuam mais quentes que o normal.

Esse fato mantém as condições favoráveis à ocorrência de chuvas com intensidade moderadas a fortes para esse período em toda a faixa litorânea do Nordeste — desde o sul do estado da Bahia até o litoral norte do RN.

As temperaturas, de acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, chefe do setor de meteorologia da Emparn, continuarão apresentando valores acima do normal, com a máxima variando de 29ºC a 31ºC e a mínima entre 20ºC a 24ºC.

No interior do estado, a temperatura máxima deve variar entre 33ºC a 35ºC e a mínima entre 18ºC a 22ºC nas regiões serranas.

As chuvas observadas durante o mês de maio – até o dia 24 – no Rio Grande do Norte, apresentaram valores abaixo do normal, segundo a Emparn.

De acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, isso se deve principalmente à presença de um bloqueio atmosférico que se instalou durante grande parte do mês sobre a parte central a América do Sul,o que impediu a passagem de sistemas frontais e forçou o deslocamento da Zona de Convergência Intertropical para o norte.

Segundo a Emparn, foram observados, em maio, alguns eventos com chuvas fortes nas regiões do Oeste, no município de Campo Grande e no Litoral Leste, região da Grande Natal.

As regiões Central e Agreste do Rio Grande do Norte registraram, em maio, chuvas abaixo do esperado para o período, com 29,4% e 31,5%, respectivamente.

g1 RN

Limpa Mil