Search
Close this search box.

“Não fazer engorda é crime contra o turismo”, diz prefeito Álvaro Dias

O sentimento do prefeito Álvaro Dias é que o vai-e-vem sobre a liberação da licença de instalação e operação das obras da engorda da praia de Ponta Negra termine em acordo com o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (Idema-RN), depois da reunião, ocorrida no fim da tarde da segunda-feira, com técnicos de diversos órgãos envolvidos e intermediada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), a fim de destravar os 17 pontos questionados pelo órgão ambiental do Estado.

“Tudo foi respondido, não tem mais o que ser perguntado”, dizia o prefeito em entrevista, já no começo da noite, na 96 FM, acreditando que a draga que deixou o porto no domingo (7) ainda está no Brasil, “ainda não foi para a Holanda” e possa voltar a Natal.Dias afirmou que não existe questão política de sua parte, “estamos defendendo a cidade e preservar a geração de emprego e renda e Ponta Negra continue a existir, mas está se transformando numa falésia”.

O prefeito disse que durante a reunião no Idema, sentiu que diminuiu a resistência à liberação da obra – “achei as pessoas mais ponderadas e ouvindo”, mas reforçou o que tinha dito antes, que se a engorda não for realizada, “é um crime contra o turismo, isso é indiscutível”.

Assim mesmo, Dias admite que a questão política e ideológicas “é coisa pequenas”, mas citou o PT porque esse partido “sempre está por trás de tudo”.

O chefe do Executivo disse que o diretor-geral do Idema, Werner Farkatt, não é filiado ao PT, mas os cargos “quase todos são indicações do PT”, razão pela qual “surpreende que o órgão não tem praticamente funcionário de carreira, são quase todos nomeações do governo do Estado”.

Para o prefeito, “isso dificulta, mais ainda, essa questão, porque estão mais suscetíveis à pressão politica contrária e medíocre para atrasar a cidade”. Mas pelo que observou na reunião, Farkatt “está sensível à questão de geração de emprego e renda, ao prejuízo que pode será causado ao turismo e acredito que não está agora mal intencionado e acredito que será bem resolvido”.

Com relação à coletiva do chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves, o prefeito considerou “deplorável e boa”, porque “até mostraram a cara, como estão mostrando agora, a gente achava que era uma questão técnica e não é, a gente está vendo que é uma questão política”.

O prefeito Álvaro Dias avisou que a manifestação no Idema não foi uma iniciativa do Executivo, mas participou atendendo convite de várias entidades, que estão preocupadas com o declínio de Ponta Negra. “O Estado todo sobrevive do turismo e Natal é a porta de entrada, Ponta Negra concentra 70% dos investimentos turísticos da cidade, não pode acabar com Ponta Negra, porque vai matar as pessoas de fome, não vão ter como sobreviver”, disse o prefeito.

O secretário municipal do Meio Ambiente e Urbanismo, Thiago Mesquita, chegou a tempo de participar da entrevista do prefeito Álvaro Dias, o qual não considera outra cenário, “senão se conceder essa licença, não tem mais o que fazer, foi tudo respondido”.

Mesquita esteve na reunião da Fiern e acredita que até quarta-feira (10) possa se chegar a um acordo com o Idema: “De 17 apontamentos feitos, respondemos cinco de pronto e acertamos que os 12 restantes iremos responder amanhã (hoje) dar segurança e buscar através de uma alternativa metodológica alguns itens, como a complementação e coleta de dados primários e fazer isso ao longo da execução da engorda”.

Segundo Mesquita, a engorda precisava ser executada entre os dias 1º de julho e 31 de outubro para aproveitar a janela ambiental, que “são as condições físicas e ambientais para uma obra como essa”. mas em virtude desse atraso de pelo menos dez dias, “temos a garantia do Idema que estendendo esse prazo até 15 de novembro não haverá nenhuma dificuldade”.

Segundo Mesquita, o risco da engorda entrar pela alta estação “é mínimo” se a licença operacional for liberada o mais rápido possível, porque em 90 dias conclui-se a engorda de Ponta Negra. “Em 2024 a engorda vai estar pronta em Natal”.

Tribuna do Norte

Supermercado Recreio