Search
Close this search box.

Futebol: em tarde de erros do Flamengo no último terço, Bruno Henrique em alta é a grande notícia

O Flamengo fez uma partida correta no empate por 0 a 0 com o Palmeiras no Allianz Parque, no domingo. Mesmo sem Pedro por um tempo inteiro e com De la Cruz entrando somente aos 31 minutos da etapa final, o time competiu e teve chances de vencer. Se o resultado não foi ideal e tirou o Rubro-Negro da liderança, há um nome em especial a ser celebrado: Bruno Henrique (veja vídeo com lances dele no duelo).

Bruno Henrique foi titular por duas partidas consecutivas pela primeira vez no ano. Tal sequência com Tite só havia se dado nos dois primeiros jogos com o treinador à frente do Flamengo, contra Cruzeiro e Vasco, em outubro do ano passado.

BH foi um rolo compressor pela esquerda, faixa do campo onde sempre se destacou. É verdade que tomou decisões erradas, como numa arrancada aos oito minutos do segundo tempo, quando podia ter tocado para Pedro, que dava opção pelo centro, e preferiu o chute. Mas nesse mesmo lance há beleza na forma que deixa Gustavo Gómez no chão.

O famoso movimento em que dá uma cavadinha na bola e a coloca na frente funcionou por inúmeras vezes durante o jogo. Passou na maioria delas, tanto que foi o líder de dribles certos da partida, com quatro em cinco possíveis. Em outras, parou na violência de Gómez e de outros defensores palmeirenses. O paraguaio e Murilo, por exemplo, cometeram quatro faltas cada. Bruno Henrique foi o atleta que mais apanhou em campo e sofreu oito.

Foi difícil ganhar disputas com BH. Pelo chão, levou a melhor em 13 de 15. No jogo aéreo, superou rivais em duas de três bolas.

As duas finalizações mais perigosas do Flamengo saíram de passes de Bruno Henrique. No primeiro tempo, partiu pela esquerda, esperou o timing certo e tocou para Luiz Araújo soltar a bomba na entrada da área. No segundo, ele deixou o campo de defesa em alta velocidade e tocou para Arrascaeta obrigar Weverton a fazer grande defesa.

O baile de Bruno Henrique em Gustavo Gómez, que só conseguiu pará-lo na base da pancada, foi o símbolo da grande atuação do camisa 27.

Tomadas de decisão equivocadas do Flamengo

 

No momento em que foi claramente superior ao Palmeiras, nos dois primeiros terços do segundo tempo, o Flamengo cometeu diversos erros bobos perto da área adversária.

Um lance aos 27 minutos retrata bem isso (veja no vídeo acima). Bruno Henrique rouba uma bola e toca em Pedro, que tinha a clara de opção de passe em Arrascaeta. Ele resolve girar, perde tempo, mas a posse volta ao Flamengo, agora com quatro rubro-negros agrupados pela esquerda. BH, em vez de tentar uma combinação com Pedro, Ayrton Lucas ou Arrasca, opta por tocar em Gerson, que era acompanhado por dois rivais. A bola insiste em retornar ao Fla, mas agora é Ayrton quem erra ao exagerar na força em tentativa de tabela com o centroavante.

Aos 10, Pedro recebeu um ótimo lançamento de Rossi e teve mais uma vez Arrascaeta em seu horizonte. Novamente tentou dribles e não se deu bem.

Titulares fazem time crescer

 

Apesar dos erros, Pedro tornou o Flamengo muito mais presente no campo de ataque. Sua movimentação e o fato de puxar a marcação consigo abriu espaços para Bruno Henrique e permitiu até mesmo que Arrascaeta atacasse o fundo como um falso 9.

Carlinhos, escalado por Tite para dar um fôlego a Pedro, não teve a mesma presença. A atuação na etapa inicial foi discreta, embora tenha roubado uma boa bola no meio de campo que acabou terminando em finalização perigosa de Luiz Araújo.

Se Pedro foi acionado após o intervalo, De la Cruz jogou menos de 20 minutos. Entrou aos 31 da etapa final e, apesar do tempo reduzido, mudou completamente a cara do Flamengo. Mais aberto pela direita, começou a levar o time para frente, bateu falta que ele mesmo sofreu e deu o esperado dinamismo à equipe.

O resultado não foi o ideal, mas o Flamengo teve chances de vencer seu principal adversário no futebol brasileiro fora de casa, viu Bruno Henrique reafirmar o crescimento que vem desde o gol do título carioca e se manteve com a mesma pontuação do líder Bragantino – é segundo colocado por ter marcado menos gols. Além disso, conservou a distância de três pontos para o Palmeiras, outro potencial candidato ao título.

Fonte: Ge

Seridó Cadeiras